O Que Te Faz Mais Forte (Stronger) é inspirado na vida de Jeff Bauman, um homem comum que conquistou os corações em sua cidade e no mundo se tornando um símbolo de esperança depois de sobreviver a um atentado durante a Maratona de Boston em 2013. Duração: 1h 59m

Nossa avaliação:

Enredo
Elenco
História
Trilha sonora
Desenvolvimento
Direção
Cenário
Média

Baseado no best-seller do The New York Times, O Que te faz Mais Forte (Stronger) retrata a vida do jovem Jeff Bauman interpretado por Jack Gyllenhaal, que foi atingido por uma bomba durante o atentado à Maratona de Boston, em 2013, enquanto aguardava a namorada Erin Hurley, personagem de Tatiana Maslany, na linha de chegada da corrida.

O longa traz como tema central a fatalidade que deixou Jeff sem suas duas pernas e a nova e dura rotina de readaptação do jovem.

Além do trauma físico que se abateu sobre Jeff, existe o trauma psicológico, e nesse redemoinho de emoções, todas as pessoas próximas envolvidas em sua vida também serão afetadas: sua mãe, sua namorada, seus parentes.

A mãe de Jeff, Patt Bauman, papel interpretado por Miranda Richardson, é uma mulher que  gostar de se embriagar. Na verdade, parece que toda a família de Jeff é um tanto quanto irresponsável nesse sentido, e é por conta disso que sua namorada Erin, terminou com ele várias vezes. Aliás, eles estavam separados antes do ocorrido por conta dessa “vida loca” de Jeff.

O Que Te Faz Mais Forte tenta retratar o emocional de cada personagem e com isso explicar seus comportamentos atuais.

Jeff além de ter que lidar com sua nova vida sob uma cadeira de rodas, e sua reabilitação com pernas mecânicas, ele tem que estar preparado para enfrentar uma quantidade de admiradores que o elegeram uma figura inspiradora: “Stronger Boston” como ficou conhecido.

Sua mãe, aliviada pelo filho estar vivo e ao mesmo tempo procurando vingança contra as pessoas que o deixaram nessas condições, vê na figura dele um herói, talvez como uma forma de diminuir seu sofrimento, canalizando a tragédia para uma visão mais positiva, e assim não deixar que seu filho se deprima. Mas Jeff não se considera um herói. Ele se sente culpado por ter estado tão próximo do terrorista e não ter conseguido fazer nada.

O barulho e a desordem que vive Jeff e as duas mulheres de sua vida: sua mãe e sua namorada, retrata a dor emocional e física de todos. Existe uma observação médica que diz que as pessoas envolvidas em cuidar de doentes que sejam muito próximos precisam muitas vezes de mais atenção do que o próprio doente. E isso é verdade porque o doente, querendo ou não, ele é assistido, mas a pessoa responsável por cuidar dele muitas vezes não é notado.

Entre flashbacks podemos ter uma noção do que foi a agonia de Jeff e das pessoas que viveram com ele esse momento trágico. Jeff também contou com a ajuda de um homem, Carlos, que o socorreu rapidamente.

O que realmente precisamos para seguir em frente é termos coragem

A perda de um ente querido, um amigo, uma tragédia que nos coloca em outra realidade, faz parte das surpresas agradáveis ou desagradáveis da vida. Jeff pode até não querer ser considerado um herói, mas sem dúvida alguma ele é uma figura inspiradora, e deve ser grato pela nova oportunidade que lhe foi dada de fazer a diferença nesse mundo, mostrando para as pessoas que muitas vezes o que realmente precisamos para seguir em frente é ter coragem.

Com adaptação de John Pollono, o longa será distribuído pela Paris Filmes, e tem estreia nacional agendada para 8 de fevereiro de 2018.

 

Avaliação dos leitores:

Assistiu o filme? Concorda com a crítica? Deixe sua nota, logo abaixo:

[Total: 0    Média: 0/5]

Autor Sil Ramalho

Adoro filmes. Não ligo para o gênero, desde que ele seja um bom entretenimento. Foi pensando nisso que resolvi abrir um site e escrever sobre o que acontece neste universo mágico. Aqui no Fila da Pipoca vou falar de tudo um pouco: curiosidades do cinema, alguns posts bem humorados, bastidores, celebridades, enfim...tudo como se fosse uma conversa. Só vai faltar o café, pão de queijo, refrigerante, o que você quiser para sentirmos que estamos juntos, sentados em lugar bem agradável falando sobre o que mais gostamos: Cinema!

Mais postagens de Sil Ramalho

Concorda? Discorda? Deixe seu comentário!