Diego é um jovem de 17 anos que tem uma estranha mania de ligar para as pacientes de sua mãe que é psicóloga.

Em um desses momentos ele liga para Angela, uma mulher de 40 anos que acaba de ser abandonada pelo marido. Duração: 1h 32m

Eles se envolvem e acabam se apaixonando. Para ficarem juntos eles terão que enfrentar tudo e todos.

Nossa avaliação:

Enredo
Elenco
História
Trilha sonora
Desenvolvimento
Direção
Cenário
Média

Fala Comigo do diretor Felipe Sholl envolve um tema polêmico, pouco convencional: O envolvimento de duas pessoas com uma diferença de idade significativa.

Felipe consegue fazer o público refletir sobre várias questões, uma delas tem a ver com o preconceito que se tem quando o assunto envolve uma mulher. Em uma sociedade que ainda impera um certo machismo, o contrário, um homem mais velho se apaixonar por uma mulher mais nova, ainda é tido como algo “normal” e aceitável.

Fala Comigo também dá ênfase à falta de diálogo entre os personagens e em alguns momentos, dois deles chegam a pedir explicitamente isso, mas todos de alguma maneira querem a mesma coisa: romper o silêncio. O silêncio das coisas não ditas, o silêncio que se escolhe para que a verdade não seja diga, ou não seja ouvida.

Felipe conduziu tão bem o tema que, até o último momento, o público vai ficar com o veredicto final, apesar de Felipe ter escolhido o dele.

Na trama, não fica claro porque Angela, interpretado por Karine Telles, foi abandonada pelo marido. Se ele a trocou por uma mulher mais jovem e ela agora estaria dando o troco e se envolvendo com um rapaz mais jovem só para mostrar o que ele havia perdido, ou se ela era uma pessoa depressiva, já se encontrava em tratamento psicológico e talvez tivesse tentado o suicídio e ele não aguentando mais aquela situação foi embora. Ela por sua vez, arrependida, acredita que em algum momento ele vai e perdoá-la.

Diogo, personagem de Tom Karabachian, é um jovem de 17 anos que liga para as pacientes de sua mãe e a voz delas o excita. Com isso Diogo faz um jogo particular e secreto cheio de intimidade que só ele tira proveito.

Clarisse, vivido por Denise Fraga, é a psicóloga de Angela que parece conseguir ouvir e falar com seus pacientes, mas sua vida familiar é um caos generalizado. Seu relacionamento com o marido não está bem e os filhos, Diogo e Mariana (Anita Ferraz) parecem chamar a atenção dela, de uma forma ou de outra, a todo momento. Os sumiços de Diogo a deixa preocupada a ponto de começar a vasculhar a vida íntima do rapaz.

Quando Clarisse descobre, a psicóloga dá lugar a mãe maternal e protetora fazendo com que tome uma atitude que ela talvez nunca tenha pensado que tomaria.

Angela e Diogo por sua vez, estão apaixonados e não se importam se essa diferença de idade é grande, não estão nem aí com o que irão dizer os amigos de Diogo ou de Angela.

Analisando a situação do casal, eu fiquei temerosa mais pela situação da Angela do que pelo Diogo. O rapaz está naquela fase da adolescência em que se experimenta muitas coisas, muitas emoções. Angela é uma mulher madura, vivida, mas está carente de afeto, tem uma vida econômica estável e relativamente boa. Pode dar ao rapaz tudo que ele precisar financeiramente e ainda proporcionar a experiência sexual que ele ainda não tem.

Será que eles estão realmente apaixonados ou a carência de Angela pode passar e ela se dar conta de que o que a maioria das pessoas pensam, de ser uma relação sem futuro, dela estar se aproveitando de uma possível inocência do rapaz, é a correta? Ou Diogo de uma hora para outra descurtir Angela e achar uma garota do colégio mais interessante e usar todo o seu conhecimento adquirido com uma mulher madura a seu favor?

Nesse jogo de sedução, preconceito e romances pouco convencionais, se ganhar o amor…muito melhor para todos.

Ainda no elenco interpretando Marcos, o marido de Clarisse, está o ator Emílio de Mello.

O longa estreia nesta quinta-feira, 13 de julho com distribuição da Vitrine Filmes.

 

Avaliação dos leitores:

Assistiu o filme? Concorda com a crítica? Deixe sua nota, logo abaixo:

[Total: 0    Média: 0/5]

Autor Sil Ramalho

Adoro filmes. Não ligo para o gênero, desde que ele seja um bom entretenimento. Foi pensando nisso que resolvi abrir um site e escrever sobre o que acontece neste universo mágico. Aqui no Fila da Pipoca vou falar de tudo um pouco: curiosidades do cinema, alguns posts bem humorados, bastidores, celebridades, enfim...tudo como se fosse uma conversa. Só vai faltar o café, pão de queijo, refrigerante, o que você quiser para sentirmos que estamos juntos, sentados em lugar bem agradável falando sobre o que mais gostamos: Cinema!

Mais postagens de Sil Ramalho

Concorda? Discorda? Deixe seu comentário!