Um casal apaixonado viaja para uma fazenda na Rússia a fim de que a moça conheça a família do noivo. Mas uma estranha tradição desde 1800 envolvendo a prática daguerreótipa de fotografar mortos, coloca em risco a vida da moça. Duração: 1h 33m

Nossa avaliação:

Enredo
Elenco
História
Trilha sonora
Desenvolvimento
Direção
Cenário
Média

Quem poderia imaginar nos dias de hoje, em pleno século XXI, que existiu uma época em que fotografar mortos misturados aos vivos era uma prática comum na Europa Oriental e na União Soviética?

Pois bem…no século XIX as pessoas acreditavam que capturando a imagem do falecido sua alma ficava eternamente viva, e como fotografar era muito caro e nem todo mundo podia se dar ao luxo disso, as fotografias post-mortem era considerada uma necessidade. Muitas vezes a única foto de uma pessoa era a de sua morte.

Foi usando esse estranhíssimo comportamento das pessoas dessa época, que o diretor russo Svyatoslaw Podgalvskiy se inspirou para escrever essa história,e acredite…baseada num acontecimento real.

A história começa com uma visitação no passado quando um fotógrafo acaba de perder sua noiva e resolve colocar em prática um ritual para trazer sua alma de volta, mas alguma coisa no meio do caminho dá errado.

No tempo presente, Nastya (Victoria Agalakova) viaja para as terras rurais russas onde mora a família de Vanya (Vyacheslav Chepurchenko) por quem a jovem está apaixonada. O rapaz guarda um segredo sobre uma estranha tradição que poderá colocar em risco a vida de sua noiva.

Tomando conta da casa e seus moradores, existe uma alma do mal que tem a necessidade de renovar seu corpo terreno para manter sua permanência, e claro que Nastya é a noiva da vez, e sim…Vanya pertence a família do fotógrafo.

A Noiva é um filme previsível, cheio de clichês, e algumas cenas confusas. A construção de seus personagens é fraca, começando pelo casal de protagonistas, e Nastya é o tipo da pessoa que merece tudo que acontece com ela.

O longa é dublado em inglês e talvez isso também tenha tirado um pouco da emoção original de seus atores.

Não conheço outras produções desse diretor, mas o trailer oficial nos dá a impressão de que ele entrega menos do que se esperava ver. O conjunto de maquiagem, efeitos especiais, trilha sonora, fotografia, não deixa nada a desejar para algumas produções americanas, e o que faltou mesmo foi um pouco mais de criação na elaboração do roteiro porque o tema é fantástico.

Então fica a dica: Se você é um daqueles fãs de terror exigentes você vai achar A Noiva um filme fraco, mas se você não tem muitas pretensões o longa vai te agradar.

Distribuído pela Paris Filmes,  A Noiva estreia nos cinemas em um dia muito especial…2 de novembro, feriado de finados.

Nota do Fila da Pipoca

É a segunda vez que vejo um filme russo dublado em inglês. O primeiro foi Os Guardiões, uma história de super-heróis. Não tenho nada contra o filme ser dublado, mas ouvir o som original é outra coisa.

Louis Daguerra foi responsável por aperfeiçoar e criar novas técnicas de fotografia em meados de 1840, daí que surgiu o nome da técnica daguerreótipa.

Avaliação dos leitores:

Assistiu o filme? Concorda com a crítica? Deixe sua nota, logo abaixo:

[Total: 0    Média: 0/5]

Autor Sil Ramalho

Adoro filmes. Não ligo para o gênero, desde que ele seja um bom entretenimento. Foi pensando nisso que resolvi abrir um site e escrever sobre o que acontece neste universo mágico. Aqui no Fila da Pipoca vou falar de tudo um pouco: curiosidades do cinema, alguns posts bem humorados, bastidores, celebridades, enfim...tudo como se fosse uma conversa. Só vai faltar o café, pão de queijo, refrigerante, o que você quiser para sentirmos que estamos juntos, sentados em lugar bem agradável falando sobre o que mais gostamos: Cinema!

Mais postagens de Sil Ramalho

Concorda? Discorda? Deixe seu comentário!