O ator Andy Serkis, que ficou conhecido pelo seu trabalho na franquia O Senhor dos Anéis e O Hobbit, veio ao Brasil para a divulgação de seu novo longa, Planeta dos Macacos: A Guerra, onde interpreta o macaco Cesar.

O ator falou sobre o seu sentimento sobre o filme, o que irá atrair o público para vê-lo, como foi a construção de seu personagem, as dificuldades de gravação, como foi trabalhar com Matt Reeves e sua estreia este ano como diretor.

Planeta dos Macacos: A Guerra, filme muito aguardado pelos fãs da franquia, estreia 3 de agosto, quinta-feira, com distribuição da Fox Film do Brasil.

O Fila da Pipoca sugere que quem for ver o longa assista na sala temática do IMAX do Shopping Eldorado. Dá uma olhada nas imagens que fizemos e entre no clima da Guerra junto com Cesar e seus amigos. É de pirar o cabeção galera!

O que o Motion Capture significa para o ator?

Andy Serkis disse que Motion Capture (Captura de Movimento) é apenas tecnologia não é representar. Serkis fez uma pesquisa sobre o comportamento dos macacos, a maneira como eles se movem para poder incorporar o seu personagem e Matt Reeves, o diretor também investigou sobre a vida desses animais.

Nos primeiros filmes da franquia, não havia capturas de expressão facial então os atores tinham que fazer as cenas, gravá-las, repeti-las e depois aplicava a tecnologia MC.

Hoje em dia ficou bem mais fácil pois algumas empresas de efeitos especiais estão muito mais evoluídas e conseguem honrar a real performance do ator. As ferramentas estão mais sofisticadas.

Qual o Tema Principal do longa?

Serkis disse que desde 1968, ano em que o primeiro longa foi escrito, o filme sempre usou metáforas para falar sobre problemas sociais.

A franquia já tem 50 anos e os personagens, tanto humanos como macacos apresentam comportamentos confusos, ideologicamente perigosos, moralmente dúbios.

Ele acredita que o tema principal do filme é a empatia.

O que Vai fazer o público ver Planeta dos Macacos: A Guerra?

Para o ator, o público vai se empolgar porque, diferente de outros blockbusters, o longa tem uma grande história sendo contada e muito disso veio do diretor.

Não julgar os outros, respeitar os outros, é uma das muitas metáforas deste filme.

Sobre o diretor Matt Reeves

Serkis disse que Matt é um dos melhores diretores que ele conhece e se importa muito com a performance do ator.

No set, a última coisa que interessava para ele era a posição da câmera. Todo o movimento da câmera girava em torno do ator e não o contrário.

Ele queria primeiro captar a emoção do personagem e apesar de Matt estar fazendo um blockbuster ele usou a tecnologia de uma forma totalmente diferente.

Dias Bons e Ruins das Filmagens

Foram cinco meses e meio de gravações aguentando temperaturas com menos 16 graus e o primeiro dia de filmagem foi muito legal porque o ator Steve Zahn é comediante e faria o papel do Macaco Mal (personagem muito divertido do filme) e as cenas com ele foram gostosas.

O resto das gravações foram muito sombrias, tensas e intensas. Eu fui amarrado, chutado, pisoteado, mas tudo isso ajuda a entrarmos no clima para o papel.

Já está mais do que na hora filmes utilizando MC serem premiados?

O ator concorda que existe um certo preconceito com essa tecnologia. Diretores e atores mais jovens sabem o que ela significa, mas os mais velhos se recusam, não estão dispostos a entender e precisariam ver os bastidores para saber como tudo funciona.

“Se eu tivesse de maquiagem eu estaria atuando, mas como é MC eu não estou”. Diz o ator

A evolução de Cesar

No primeiro longa, as falas de Cesar eram poucas e ele usou um protetor bucal, nessa nova história os textos são maiores e se perderia muito tempo de filmagem, então o ator teve que falar um pouco mais como humano porque subtende-se também que Cesar aprendeu a linguagem dos humanos e evoluiu.

Cesar evoluiu física e emocionalmente e tem reações mais humanas também. Cesar anda ereto e só corre com quatro patas quando tem que escapar.

Será que Andy faria outro personagem nessa franquia?

Sim. O ator ficaria muito feliz fazendo outro personagem pois diz ele que adora essa franquia e suas metáforas.

Como foi a construção de Cesar?  (Spoiler)

Andy disse que para fazer Cesar sempre pensou em um ser humano na pele de um macaco. Um excluído.

Ele gosta de pensar em Cesar como uma criança prodígio. Que tem muito conhecimento e as vezes é mal interpretada.

Para fazer Planeta dos Macacos: A Guerra ele precisou de um exemplo de líder e escolheu Mandela.

Para sentir a revolta de Cesar quando ele perde a família ele teve que pensar se reagiria igual ao Cesar.

Planeta dos Macacos: A Guerra é uma história de sobrevivência (spolier)

O filme reúne filosofia e tecnologia que juntas, segundo o ator, é uma história sobre sobrevivência mais do que uma história de guerra.

É um pouco triste, mas parece ser mais fácil aceitar animais morrendo que seres humanos. Eles são presos e mal tratados.

A jornada mítica de Cesar é parecida com a história da bíblia. O messias levando seu povo à terra prometida.

Andy sai de cena por um tempo e fica nos bastidores

O ator tem um Studio Cinematográfico e Produtora, a Imaginarium, e está assinando a direção de dois longas. Jungle Book, ainda em pós-produção que será lançado o ano que vem e Breathe.

Andy disse que sempre quis ser diretor e Peter Jackson (franquia O Senhor dos Anéis e O Hobbit) foi seu mentor e lhe deu muitas dicas sobre como dirigir.

Em Jungle Book o ator compartilhou sua alegria em trabalhar com Motion Capture e falou que, se já foi complicado e difícil fazer os movimentos e estudar o comportamento de um macaco a coisa fica muito mais complicada quando se trata de uma pantera ou qualquer outro animal. Muito diferente de uma produção Disney, Jungle Book quer atingir uma plateia com idade superior a 10 anos e Christian Bale vai interpretar uma pantera.

Breathe, baseado em uma história real, é sobre o casal, Robin e Diana Cavendish. Robin, advogado britânico contrai pólio aos 28 anos de idade em uma época que a doença era devastadora e levava à morte. Mas ambos não aceitavam essa condição e Diana deu a maior força para que Robin saísse do hospital. O filme é sobre superação e vai participar do festival de Toronto em setembro deste ano e em outubro na Inglaterra, marcando a estreia do ator como diretor.  Andy Garfield será o protagonista do longa ao lado de Claire Foy que fará Diana.

Planeta dos Macacos: A Guerra estreia nos cinemas nacionais dia 3 de agosto com distribuição da Fox Film do Brasil.

Mais fotos da sala tematizada IMAX do Shopping Eldorado acesse Aqui

Mais informações sobre a sala IMAX acesse Aqui

Autor Sil Ramalho

Adoro filmes. Não ligo para o gênero, desde que ele seja um bom entretenimento. Foi pensando nisso que resolvi abrir um site e escrever sobre o que acontece neste universo mágico. Aqui no Fila da Pipoca vou falar de tudo um pouco: curiosidades do cinema, alguns posts bem humorados, bastidores, celebridades, enfim...tudo como se fosse uma conversa. Só vai faltar o café, pão de queijo, refrigerante, o que você quiser para sentirmos que estamos juntos, sentados em lugar bem agradável falando sobre o que mais gostamos: Cinema!

Mais postagens de Sil Ramalho

Concorda? Discorda? Deixe seu comentário!